02 novembro 2021

Responsabilidade ecológica na construção civil

Os impactos provocados pelas construções civis no ambiente preocupam cada vez mais não só as construtoras brasileiras, como os consumidores também. No processo de aquisição de um imóvel, você, como cliente, deve procurar muito além da casa ideal: a construtora que adere às práticas de sustentabilidade e respeita a natureza, controlando seus efeitos ecológicos, pode ser muito mais atrativa aos seus olhos, não? Mas como saber quais construtoras respeitam a natureza e quais a negligenciam? E afinal, o que e como seria, na prática, essa coexistência sem danos com o meio-ambiente? Conheça agora tudo sobre responsabilidade ecológica na construção civil, como as empresas estão adotando medidas sustentáveis para preservar a natureza e como você, comprador final, pode ser impactado positivamente.  

RESPONSABILIDADE ECOLÓGICA NA CONSTRUÇÃO CIVIL

Quando se trata da natureza e de seus cuidados, todos os ramos profissionais e econômicos devem se unir para fazer da sustentabilidade um hábito comum. As empresas do ramo da construção civil produzem impactos violentos na natureza e enfrentam desafios socioambientais cada vez mais complexos. Por isso, recentemente a prática de responsabilidade ecológica tem ganhado força, tanto pela preocupação com o meio-ambiente por parte das construtoras quanto pela crescente exigência dos consumidores, que pedem por empresas mais sustentáveis. Mas afinal… o que é responsabilidade ecológica?     

O que é responsabilidade ecológica

O objetivo da construção civil é, sob todos os aspectos, oferecer uma qualidade de vida melhor para a população. Porém, se não houver natureza, então consequentemente jamais haverá qualidade de vida. Percebe-se, portanto, uma condição: para que o ramo da construção civil se solidifique e produza bons resultados, é preciso adaptá-lo e moldá-lo de acordo com a natureza, para que nenhuma de suas ferramentas agrida o meio-ambiente. Caímos, então, no conceito de responsabilidade ecológica.

Quando nos referimos à responsabilidade ecológica, englobamos todas as fases do processo da construção civil: o antes, o durante e o depois das construções. São nessas fases que se encontram os impactos ambientais que queremos remediar, suavizar ou, até mesmo, eliminar. Questões como extração exagerada de matéria-prima, descarte indevido de resíduos, abuso da energia elétrica e o que podemos fazer em relação a esses fatores para que o meio-ambiente não seja tão prejudicado, serão abordados mais detalhadamente ao longo do texto, porém, primeiro, confira algumas práticas sustentáveis adotadas pelas construtoras:

INVESTINDO EM “EDIFÍCIOS VERDES”

Também conhecidos como “Green Buildings”, essas construções sustentáveis são mundialmente reconhecidas por utilizarem da sustentabilidade em todas as fases das construções, desde seu planejamento mais básico até a elaboração, venda e, se for necessário, demolição, ocasionando um uso consciente tanto dos resíduos quanto da matéria-prima e da energia despendida no processo. Muitos fatores estão envolvidos nos “edifícios verdes” em prol de uma melhor qualidade de vida para os moradores, como segurança, praticidade e conforto. 

DANDO UM DESTINO CORRETO AOS RESÍDUOS

É de extrema importância zelar pelos resíduos mesmo depois de a construção estar pronta. O destino dele diz muito sobre a natureza e, principalmente, sobre a construtora. Algumas empresas optam pelas caçambas de lixo para armazenar sobras, porém é o que acontece depois que realmente importa. Afinal, simplesmente despejar os resíduos num lugar qualquer não contribui de forma alguma para o meio-ambiente; muito pelo contrário, apenas prejudica. Por isso, despejar resíduos em aterros adequados é essencial e investir em processos de reciclagem, reutilização e compostagem para lixos orgânicos é uma ótima alternativa.

ABUSANDO DAS TECNOLOGIAS

Sustentabilidade é sinônimo de tecnologia, então abusar dela nunca prejudicaria o meio-ambiente. Alguns softwares de gestão ajudam na logística da construção, na realização das obras no canteiro e até no gerenciamento de resíduos. E indo um pouco mais além, é por meio da tecnologia que conseguimos, por exemplo, calcular a quantidade adequada de matérias-primas a serem utilizadas, para que não sejam extraídas de maneira indevida, ou controlar a energia elétrica gasta, e até o tempo de construção de cada projeto. Um dos benefícios da tecnologia é eliminar definitivamente o uso de papéis – e, convenhamos, as árvores agradecem. 

SEGUINDO AS NORMAS

A construtora que segue as normas é a construtora que contribui para o bem-estar do meio-ambiente. Por isso, as empresas devem seguir um padrão de sustentabilidade oficialmente comprovado, para que possam se sujeitar sem receio aos processos de certificação sustentáveis. Tais certificações tornam a construtora mais atrativa aos olhos do consumidor, que exige cada vez mais empresas ecologicamente corretas com políticas de sustentabilidade reconhecidas.

TOMANDO CUIDADO COM O CONSUMO DE ENERGIA

Nenhuma energia disponível no planeta é infinita, e algumas inclusive não são renováveis. Por isso, as construtoras devem ter extrema cautela ao utilizarem energia em seus processos para que o consumo não seja excessivo. O importante é lembrar que sem natureza, não há energia, e sem energia, não há construção.  

E POR QUE AS CONSTRUTORAS QUEREM SER MAIS SUSTENTÁVEIS? 

Os gastos das construtoras são reduzidos devido à otimização dos processos, automatização de demandas e consumo consciente tanto da energia quanto da matéria-prima, assim como destinação correta dos resíduos que poupa prejuízos. As construtoras que aderem às práticas sustentáveis possuem maior valorização no mercado e perante os consumidores, que enxergam a sustentabilidade como fator imprescindível para qualquer tipo de empresa atualmente.

Além disso, o governo brasileiro concede benefícios às empresas consideradas sustentáveis, oferecendo descontos e financiamentos em impostos fiscais. As construções que contam com aparatos ecológicos, como reutilização de água, reciclagem, descarte correto de resíduos, placas solares de aquecimento de água ou para energia elétrica e fontes renováveis, por exemplo, recebem um importante incentivo fiscal chamado de IPTU Verde, uma vertente do IPTU como o conhecemos que beneficia operações ecoeficientes. 

OS DESAFIOS ATUAIS NA CONSTRUÇÃO CIVIL QUE VOCÊ DEVE CONHECER

  • Grande quantidade de resíduos produzidos nas construções
  • Entulhos nos canteiros de obras representando uma dificuldade no descarte
  • Extração excessiva de matéria-prima, despertando um desequilíbrio na natureza
  • Uso exagerado de energia elétrica que, como dito anteriormente, não é infinita
  • Gasto inadequado da água

Nesse artigo, você entendeu um pouco mais sobre a responsabilidade ecológica na construção civil, que se torna mais popular e comum entre as empresas do ramo, em benefício à qualidade de vida dos consumidores e futuros moradores. Assim, cuidando da natureza e zelando pelo bem-estar do meio-ambiente, as construtoras conseguirão alavancar seus resultados, arrecadar clientes cada vez mais fidelizados, ao mesmo tempo em que, principalmente, garantem uma qualidade de vida melhor para si mesmos e para as futuras gerações. 

COM A ROTTAS VOCÊ PODE

REALIZAR SEU SONHO