07 julho 2021

8 dicas para administrar melhor seu dinheiro e realizar seu sonho

Recorrer a um bom planejamento financeiro é a melhor forma de se organizar e se preparar para realizar o sonho da casa própria. Ter um lugar para chamar de seu é o grande sonho da maioria dos brasileiros, mas para alcançar esta realização, uma mente estratégica e autocontrole absoluto são indispensáveis.

Na árdua tarefa de percorrer os caminhos até a casa própria, você deve ter foco e determinação. Por isso, acompanhe estas 8 dicas para administrar melhor seu dinheiro e realizar seu sonho; aqui está um passo a passo para comprar sua casa própria.

1. FAÇA UM EXAME DE SEUS GASTOS

Suas despesas dizem muito sobre você e sobre seu futuro. Se você faz planos grandiosos acerca de casas próprias e um lugar para chamar de seu, você deve também fazer um exame minucioso de seus gastos e identificar quais são suas despesas, analisando simultaneamente o que é estritamente necessário e o que pode ser cortado. Como único influenciador do seu futuro, você tem por obrigação saber exatamente de onde vem seu dinheiro e, principalmente, para onde ele vai.

Quando o objetivo é administrar melhor suas finanças, algumas coisas precisarão ser eliminadas da sua rotina (pelo menos por enquanto). Mantenha o foco no que é essencial para sua sobrevivência e qualidade de vida: alimentação, remédios, água, luz… Todas estas despesas não podem ser ignoradas.

Já aquelas que dizem respeito aos luxos e aos caprichos (que nós adoramos) podem ser suspensas até que a condição financeira esteja estabilizada. TV a cabo, fast food, passeios caros, viagens, compras desnecessárias… Elimine da sua agenda o que for supérfluo e restará mais dinheiro no seu bolso no fim do mês.

2. COMECE A ECONOMIZAR

Agora que você examinou seus gastos e cortou as despesas desnecessárias, está na hora de fazer um planejamento. O primeiro passo é colocar tudo no papel. As coisas fluem melhor quando tiramos tudo da zona da imaginação e transferimos nossas ideias e sonhos para a realidade. Então, depois de anotar tudo, pegue a calculadora e mãos à obra. Cuidar da economia requer muito jogo de cintura, estratégia e perspicácia. É muito mais do que simplesmente cortar todos os gastos e sobreviver de pão e água; trata-se de planejar toda uma vida e transformá-la em algo palpável, como números. Você pode, por exemplo, investir seu dinheiro no que realmente dá retornos. Algumas pessoas optam por cancelar o cartão de crédito, que representa uma tentação em nossa rotina e uma falsa ilusão de que estamos no controle. Entretanto, de qualquer forma que você tente, o importante é começar por algum lugar e manter-se firme na decisão. Com determinação e foco, em breve seu bolso respirará aliviado.

3. RESERVE PARTE DE SUA RENDA MENSAL

Obviamente, administrar melhor seu dinheiro envolve também reservar parte de sua renda mensal num lugar em que você não se sinta tentado a gastá-la. Você pode, por exemplo, criar uma poupança justamente com essa finalidade. Alguns especialistas recomendam guardar cerca de 30% do seu salário mensal, porém sabemos que nem todas as realidades são iguais umas às outras. Por isso, vá no seu tempo e estipule o valor que couber no seu orçamento. Se em janeiro você conseguiu guardar 20%, mas em fevereiro conseguiu apenas 10%, tudo bem! Não há uma regra clara sobre isso e você não precisa passar por apertos. O importante aqui é sempre lembrar-se da sua reserva e guardar algo todo mês, nem que seja apenas um pouquinho, para alcançar o seu sonho da casa própria.

4. PREVEJA OS GASTOS ADICIONAIS 

Ao planejar a casa própria, muitas pessoas acabam se esquecendo de computar os gastos adicionais que vêm acoplados à aquisição do imóvel. As despesas com escrituras, documentações, vistorias, avaliações e impostos, não podem ser ignoradas. Tudo deve ter sido metodicamente previsto no seu planejamento e você deve ter uma quantia especialmente reservada para estas despesas. Não esqueça, também, dos gastos com mudança, reformas (se necessário), pinturas e consertos. Em caso de apartamentos, as despesas são ainda maiores, pois incluem o valor do condomínio e, na maioria das vezes, das áreas de lazer. Faça as contas e tenha a certeza de que não estará gastando mais do que o necessário. Prevendo estas despesas, você não levará nenhum tipo de susto e não precisará se preocupar com sonhos adiados ou, até mesmo, cancelados.

5. FAÇA UMA ANÁLISE DA REGIÃO DOS IMÓVEIS

A região dos imóveis influencia e muito no valor que você pagará. Boas regiões proporcionam imóveis mais caros, então você deverá pesar no papel se isso realmente cabe no seu orçamento. Quando se planeja a casa própria, um dos maiores erros é pensar somente na casa em si, e não no ambiente que a rodeia. Afinal, você não passará 100% do seu tempo dentro de casa. Pondere se o comércio perto da residência é abundante, se há condução favorável, se o bairro é tranquilo, se a infraestrutura de modo geral é confiável. Em outras palavras, analise a região pensando no todo, e não nas partes individuais. E depois, considere se o seu planejamento financeiro conseguirá dar conta deste “todo”.

6. PONDERE OS PRÓS E CONTRAS

Todo sonho tem seus prós e seus contras. Pensar o contrário seria uma doce ilusão, e como a aquisição de uma casa própria não se dá com ilusões, você deve considerar e pesar todos os prós e contras. Afinal, tomar uma decisão de cabeça quente, ainda mais uma decisão definitiva quanto essa, pode acarretar consequências bem desagradáveis. Por isso, pondere não só se o seu orçamento está preparado para uma dívida de tal porte, mas também se o momento em que você se encontra é apropriado para essa mudança. Você se sente pronto? Sua carreira está estabilizada? Você tem certeza da sua decisão? Todas essas perguntas são saudáveis para quem está prestes a trilhar seu caminho. Quando souber respondê-las com convicção, então seu caminho estará mais garantido.

7. PLANEJE O FUTURO

Você deseja ter filhos? Se essa pergunta te assusta e você ainda não sabe a resposta, então é melhor pensar mais um pouco. Um casal que planeja ter filhos pode considerar imóveis maiores, com mais cômodos, numa região mais favorável à educação de uma criança, enquanto aqueles casais que planejem seguir uma vida a dois por um bom tempo podem optar por casas menores, apartamentos ou até residências no estilo quarto-cozinha-banheiro. O importante aqui é planejar o futuro para que as decisões não prejudiquem a família que porventura você deseje criar e que não comprometam o seu orçamento. Lembre-se que o tamanho da casa, assim como a região em que está situada, vai influenciar no valor e no futuro.

8. NÃO FAÇA TUDO SOZINHO

Pedir ajuda é sinal de que você conta com uma rede de apoio. Na árdua tarefa de escolher e comprar uma casa própria, você não precisa fazer tudo sozinho. É coisa demais para nos preocuparmos sem precisarmos de uma ajudinha aqui ou ali. Por isso, converse com alguém que entende do assunto, seja alguém da família, um amigo ou até mesmo o corretor de imóveis que está te auxiliando no processo. Colete opiniões, experiências e exemplos de vida. Quanto mais informação, melhor! Não esqueça também de sondar a vizinhança, fazer perguntas e absorver o máximo de ensinamento possível. Se você quiser conhecer mais sobre o assunto, oferecemos conteúdo de qualidade em nosso blog para auxiliá-lo no processo de colher informações: [Link para blog]

Cada passo em direção à casa própria é precioso. Então, ao caminhar rumo a isso, pense seriamente em cada uma das instruções apresentadas nesse artigo e comece a economizar e a se preparar, emocional e financeiramente, para chamar um lugar de seu! Com essas 8 dicas para administrar melhor seu dinheiro e realizar seu sonho, você perceberá que sua casa própria está muito mais perto do que você imagina.

COM A ROTTAS VOCÊ PODE

REALIZAR SEU SONHO